Clube Atlético Itapemirim pode "fechar as portas"
Clube Atlético Itapemirim pode “fechar as portas”

O Clube Atlético de Itapemirim (conhecido como Galo da Vila) está na iminência de encerrar suas atividades.

Afundado em dívidas e vários processos trabalhistas se vê em situação complicada e pode ter que encerrar suas atividades esse ano porque a prefeitura de Itapemirim não repassa o patrocínio.

O Atlético da Vila se destacou nos últimos anos por suas vitórias e conquistas, vitorioso em praticamente todas as competições por onde passou. O clube foi campeão do Sulino (principal competição sul capixaba) no anos de 2006, 2007 e 2010. Além de já ter levado o título sulino feminino em 2004.

História de Sucesso

Em 2011 o Atlético deixou de ser time amador e se profissionalizou se filiando a Federação de Futebol do ES (FES) e CBF ( Confederação Brasileira de Futebol) conseguido suas maiores glórias em 2017 quando foi campeão capixaba invicto e campeão da Copa Espírito Santo. Em 2018 foi vice campeão da Copa Verde (competição nacional) e chegou a disputar a Copa do Brasil.

Realidade do Atlético da Vila

O clube de tantas glórias de um passado recente vive talvez sua pior fase financeira, pois abarrotado por dívidas de administrações passadas o clube está devendo a funcionários, jogadores, restaurante, supermercados e aluguéis de imóveis. Entramos em contato com Ronaldo, tesoureiro do Galo que nos informou que a prefeitura de Itapemirim não efetuou o pagamento da cota de patrocínio e que o clube está com dívidas acumuladas.

Ainda segundo o tesoureiro a Prefeitura de Itapemirim descumpriu uma determinação judicial que obrigava o pagamento da cota de patrocínio de R$ 800.000,00 (Oitocentos Mil Reais) e que os funcionários do clube estão sem receber desde o início do ano, portanto 5 meses de salários atrasados.

Categorias de Base

A crise pela qual passa o clube atingirá também mais de 100 crianças que fazem parte das categorias de base, caso não haja um consenso entre o clube e prefeitura todo o trabalho terá que ser desconstruído. Contudo vale salientar a importância social e esportiva ao se manter essas crianças praticando esportes.

Comerciantes em crise por ‘calote’ de clube

Alguns comerciantes de Itapemirim que acreditaram na capacidade de pagamento do clube estão preocupados com um possível calote, como é o caso do Restaurante Raízes em Itapemirim de propriedade do empresário Benedito Henrique de Araújo, mais conhecido por Bino, que informou que está com cerca de R$ 16 Mil Reais para receber do clube. “É uma quantia considerável para minha empresa, gostaria de receber esse valor o quanto antes, pois tive que pegar dinheiro emprestado para pagar minhas contas, não posso ficar no prejuízo, quando o clube precisou eu atendi, agora quero receber”, reclamou Bino.

Um outro empresário, Nicodemos dos Santos Costa, proprietário do Supermercado Costa (Campo Acima) afirma que o clube deve cerca de R$ 25 Mil Reais, segundo ele um funcionário do clube ia quase todos os dias comprar itens alimentícios e que está preocupado com a situação. “Não posso aceitar isso, quando o clube precisou eu abri o crédito, entretanto não sabia que iria demorar tanto e com esses problemas judiciais estou preocupado se vou receber ou não”. Disse Nicodemos.

O que dizem os dirigentes

O supervisor administrativo Marcos Marvila foi taxativo em afirmar que a situação do Atlético é de fato crítica e que o clube pode fechar as portas. Já o tesoureiro Ronaldo lamenta a situação dos credores que estão sem receber e acrescentou que até a padaria e fábrica de gelo estão sem receber, mas para ele o mais grave são as lavadeiras e cozinheiras.

O diretor do Atlético Armando Zanata no entanto afirmou que acredita que a prefeitura fará o repasse e tem certeza que o Atlético vai superar essa fase e continuará sua história de sucesso no futebol.

Até o fechamento dessa matéria não tínhamos recebido nenhuma resposta da prefeitura de Itapemirim.

1 COMMENT

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.