São números grandiosos e assim como as cifras as oportunidades para o setor portuário também tem chamado a atenção no setor sudeste.

Mais de 6 mil empregos no setor portuário, nos Porto de Kennedy e São Mateus; Saiba mais

Os Portos de Presidente Kennedy – ES e São Mateus – ES, juntos receberão uma astronômica quantia de investimento para construção e projetos até a fase de operação projetada para 2022. Serão inúmeras vagas de empregos para a área de construção e operação portuária.

O Porto Central, complexo industrial portuário localizado no município de Presidente Kennedy, recebeu licença de instalação (LI) do Ibama nesta quinta-feira (1º). O projeto receberá R$ 3 bilhões de investimento na primeira fase, a ser iniciada em 2019, e vai gerar 4,7 mil empregos durante sua construção. Na fase de operação, prevista para 2022, dois mil trabalhadores atuarão no Porto. Com 20 milhões de metros quadrados, dez quilômetros de berços e píeres, e até 25 metros de profundidade, o Porto Central coloca o Espírito Santo na rota dos maiores navios do mundo, com até 400 mil toneladas de capacidade. Segundo Novaes, um dos diferenciais do projeto é a infraestrutura ofertada para a instalação de indústrias na área licenciada.

De propriedade da empresa Petrocity, o Porto de São Mateus terá investimento previsto de R$ 3,1 bilhões com previsão de conclusão das obras em 2021. O terminal portuário tem projeto para instalação no litoral de São Mateus, na região de Urussuquara, e deve gerar 2,5 mil empregos durante as obras. Outras duas mil vagas, diretas e indiretas, devem ser abertas na fase de implantação. A obra deve durar cerca de 3 anos, mais 2.000 empregos diretos e outros 6.000 indiretos.

A Prumo Logística, responsável pelo Porto do Açu, ganhou maior aporte de investimento árabe. A Mubadala, fundo soberano de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, aumentou a participação na Prumo de 8% para 30%. No entanto, o controle majoritário do empreendimento no litoral de São João da Barra continua nas mãos do grupo EIG Global Energy Partners, dos Estados Unidos.

Até o ano passado já foram movimentados 655.000 toneladas de cargas no Açu e 170.000 toneladas somente nos primeiros meses de 2019.

O Porto do Açu já possui licença para operar veículos, está desenvolvendo a infraestrutura para movimentar contêineres e até 2021, além de uma zona de processamento de exportações em atividade, disse ex CEO da Prumo, à Veja.

Fonte: clickpetroleo.com.br

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.