barriga de mulher grávida
Mulheres grávidas têm mais gatilhos para ansiedade

Criar muita expectativa pelo bebê que está por chegar é normal. No entanto, algumas gestantes desenvolvem sintomas de ansiedade na gravidez. Será que você sabe identificar a diferença?

Embora seja comum sentir um friozinho na barriga ao se descobrir grávida, esse sentimento não pode afetar sua saúde. Por isso, é importante saber separar o que é natural do que está comprometendo sua mente.

E é sobre como fazer essa diferenciação que vamos falar no artigo a seguir. Confira!

Entenda o que é ansiedade

Antes de qualquer coisa, é indispensável separar uma simples ansiedade do distúrbio de ansiedade. Enquanto um é um sentimento passageiro, sem afetar a rotina. Enquanto isso, o distúrbio conta com sintomas que comprometem o dia a dia.

De forma resumida, a ansiedade é uma sensação inquietamento, preocupação ou medo, que pode ter níveis leves, médios e severos. Todo mundo se sente ansioso de vez em quando. Sabe quando você quer muito ir a uma festa, por exemplo? Se trata de uma percepção sem efeitos colaterais.

Entretanto, em graus mais avançados, a ansiedade poe envolver também crises intensas. Algumas mulheres grávidas, por exemplo, passam a viver num estado de constante culpa ou estresse. Elas ficam em pânico enquanto as pessoas ao seu redor esperam que esteja feliz.

Convém dizer, porém, que a ansiedade é uma condição de saúde e não um sinal de fraqueza. Não se trata de uma fragilidade ou questão que pode sumir com um estalar de dedos, é preciso passar por um tratamento.

Veja quais são os sintomas de ansiedade na gravidez

mulher grávida com ansiedade
É importante tratar os sinais de ansiedade desde o começo

Cerca de 6% da população vai passar por algum transtorno de ansiedade durante a vida. O distúrbio é duas vezes mais presente nas mulheres. As mudanças hormonais da gestação tendem a funcionar como gatilhos.

Na verdade, todas as alterações do período são consideradas ponto fracos. Há ainda a pressão para se sentir feliz, a preparação para deixar o trabalho durante a licença maternidade, as obrigações de criar uma família, entre outros. Todas essas preocupações podem se acumular e contribuir para o distúrbio.

Um estudo norte-americano realizado em 2011 apontou que os sintomas de ansiedade na gravidez são mais presentes no primeiro trimestre. Contudo, em mulheres com depressão ou outra alteração na saúde mental, pode ser ainda mais perigoso, sendo mais vulneráveis inclusive no pós parto.

Para compreender se a ansiedade está acontecendo, é preciso ficar atento a sintomas como:

  • ansiedade constante e impossível de ser controlada;
  • inquietação;
  • preocupação constante (por exemplo, com o desenvolvimento do feto, mesmo sem condição de risco);
  • sentimento de estar afundando;
  • impossíbilidade de se concentrar ou impressão de que a mente apaga por alguns segundos;
  • irritabilidade;
  • sensação de estar constantemente no limite;
  • dificuldade de dormir ou ficar acordado;
  • coração disparado;
  • dor no peito;
  • respiração curta;
  • tontura;
  • desmaios;
  • tremores;
  • enjoo;
  • estômago inconstante.

Como dá pra perceber, a ansiedade surge de diferentes formas. E isso significa que um diagnóstico precisa acontecer o mais rapidamente possível. Do contrário, pode ser que sintomas permaneçam mascarados por muito tempo, agravando a situação.

Saiba como é feito o tratamento contra a ansiedade

sintomas de ansiedade em mulher grávida
Os sintomas de ansiedade variam bastante – Sintomas de ansiedade na gravidez

A preocupação número 1 de qualquer grávida é não prejudicar o desenvolvimento do bebê. No caso da ansiedade, isso significa que muita gente evita tomar remédio. Contudo, não é preciso comprometer a saúde mental da mãe em prol da saúde do filho.

Na verdade, o que acontece é que os medicamentos se tornaram muito mais eficientes em qualquer situação. Na prática, isso significa que é possível tomar remédio para ansiedade sem afetar o bebê.

Entretanto, vale dizer que o tratamento contra a ansiedade não se resume a medicamentos. O ponto de partida é justamente tentar fugir dos remédios e apostar na terapia. Idas ao psicólogo são a base inicial.

Como a gestante passa por muita pressão nessa época da vida, é importante conversar com um especialista. Muitas vezes os pensamentos são considerados vergonhosos pela grávida. Logo, apenas um profissional terá ferramentas para ajudar.

Da mesma forma, situações mais avançadas, principalmente quando a ansiedade é associada a outras doenças, a busca pelo psiquiatra é essencial. Tudo vai depender do estágio da ansiedade.

Aprenda a conversar com o médico sobre os sintomas de ansiedade na gravidez

mulheres grávidas
Conversar com especialistas e outras grávidas ajuda a controlar os sintomas

O primeiro aliado da gestante é seu parceiro. Caso ele não esteja presente, é importante ter uma relação de confiança com outra pessoa. Pode ser a mãe, a irmã, o amigo, o tio, não importa. Até mesmo conversar com outras grávidas é eficiente. O essencial é ter uma rede de apoio e segurança para que a ansiedade não aumente.

Mas quem mais pode ajudar a grávida com ansiedade é o ginecologista e/ou obstetra. Isso acontece porque o médico estará presente durante toda a gestação. Ele terá, portanto, ferramentas para reconhecer sintomas e indicar o melhor caminho.

Para isso, porém, é importante saber conversar com o profissional. E isso inclui deixar a vergonha e os julgamentos de lado. Em geral, esses profissionais já tiveram contato com distúrbios como esse e vão saber como fazer o melhor encaminhamento. Por isso, não deixe de abordar sua saúde mental durante as consultas.

Evite subestimar sua saúde mental

O maior problema é que os sintomas de ansiedade na gravidez e também fora dela são muito subestimados. Há quem diga que é frescura, mas provavelmente é por não saberem diferenciar o sentimento da condição. A questão inicial é sempre compreender se se trata de algo passageiro ou de uma doença que veio para ficar.

Para evitar sofrimentos desnecessários, fique sempre atenta ao que acontece na sua vida. Sentir alguma irritação é normal, mas quando esse sentimento se exceder, ligue o alerta. Dessa forma, você estará sempre preparado, assim como seria com sua saúde física.

Em resumo, os sintomas de ansiedade na gravidez devem ser analisados com calma e com ajuda especializada. É o médico e demais profissionais que vão saber determinar o melhor tratamento, amenizando os sinais da ansiedade.

O que você achou desse artigo? Acha que foi útil? Então aproveite para compartilhar esse post em suas redes sociais! Pode ter certeza que tem muita gente que ainda precisa aprender a diferença entre as ansiedades temporárias e as que vieram para ficar!

1 COMENTÁRIO