Uma das práticas mais comuns ainda hoje utilizada no Brasil é a queima da palha da cana-de-açúcar, com o propósito de facilitar as operações de colheita. A queimada consiste em atear fogo no canavial para promover a limpeza das folhas secas e verdes que são consideradas matéria-prima descartável.

Desde o advento do carro Flex, o setor agrícola brasileiro vem sendo marcado por um novo ciclo no plantio da cana-de-açúcar para obtenção do álcool combustível, não apenas para substituição do petróleo devido à elevação dos preços internacionais, mas por questões relacionadas às mudanças climáticas.

Mas a queima da cana-de-açúcar para despalha, próximas a Marataízes, já se iniciaram. Com essa queimada, ás margens da Rodovia Marataízes x Cachoeiro, fica esfumaçada, contribuindo para um trânsito lento e cuidadoso. A fumaça quase sempre invade a pista e requer muito cuidado e atenção dos motoristas.

A nossa reportagem, vindo de Cachoeiro/ES, presenciou uma dessas queimadas.

Conforme apuramos, essas queimadas não são autorizadas, pelo menos de dia e os proprietários das terras plantadas com cana de açúcar, nega veemente que não realiza este tipo de ação, pois sabe dos perigos existentes.

Segundo o IDAF, a queima deve ser previamente autorizada. No período de maio ao final do mês de outubro, é proibido a queima controlada no Estado do Espírito Santo. Apenas com laudo agronômico, essa ação é autorizada nesses meses, de acordo com decreto estadual nº 1402/R.

O vídeo abaixo mostra o exato momento do intenso fogo e a fumaça branca perigosa. Ontem o vento estava contrário a pista e a fumaça não estava muito perigosa para o trânsito no local, mas com vento a favor da rodovia, a ameaça é clarividente.

Veja o vídeo do fogo das queimadas:

 

Eliseu Leal Costa: